Wall Street fecha em baixa com recuo em tecnologia

Recebi uma doação de um imóvel. Como declarar no Imposto de Renda 2018?
2 de abril de 2018
Mais de 7 mi de pessoas fizeram declaração do IR no 1º mês de entrega
2 de abril de 2018
Exibir tudo

Wall Street fecha em baixa com recuo em tecnologia

Dow Jones caiu 1,9 por cento, a 23.644 pontos após ficar abaixo de sua média móvel de 200 dias. O S&P 500 perdeu 2,23 por cento, a 2.581 pontos

Nova York – Os índices acionários de Wall Street caíram nesta segunda-feira, com investidores vendendo ações de tecnologia em meio a preocupações recorrentes de guerra comercial, com os principais índices negociando abaixo de suas médias móveis de 200 dias e com o S&P 500 fechando abaixo desse nível técnico pela primeira vez desde o voto do Reino Unido para deixar a União Europeia em junho de 2016.

O Dow Jones caiu 1,9 por cento, a 23.644 pontos após ficar abaixo de sua média móvel de 200 dias. O S&P 500 perdeu 2,23 por cento, a 2.581 pontos, e o Nasdaq Composite recuou 2,74 por cento, a 6.870 pontos.

A primeira sessão do segundo trimestre começou com uma ampla liquidação concentrada nos setores de tecnologia e bens de luxo, ao passo que perdas da Amazon.com, Tesla e Microsoft, entre outros, levaram o destaque no lugar de medidas comerciais retaliatórias reveladas pela China no domingo.

“É mais complicado do que só uma liquidação na tecnologia. O que está abalando a todos é que o S&P rompeu sua média móvel de 200 dias”, disse Brian Battle, diretor de trading da Performance Trust Capital Partners. “Isso atrai vendedores de momento e eles não ligam para o que são os fundamentos.”

A Amazon.com foi a queda que teve maior peso no S&P 500, recuando 5,2 por cento, à medida que o presidente Donald Trump continuou atacando a varejista online pelo Twitter.

Todos os 11 principais setores do S&P 500 fecharam em queda, com as maiores quedas vistas pelos índices de bens de luxo e tecnologia, que caíram 2,8 e 2,5 por cento, respectivamente.

O Nasdaq, abastado de empresas de tecnologia, foi pressionado pela Microsoft, Intel, Apple , Facebook e Alphabet.

(Reportagem adicional de Sinead Carew)

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.