Noticiário corporativo, exportadoras e Fed impulsionam mercados europeus

Pagamento do 13º salário de aposentados começa em agosto; veja calendário
17 de julho de 2018
IR maior para ricos reduziria impostos sobre consumo, diz movimento
17 de julho de 2018
Exibir tudo

Noticiário corporativo, exportadoras e Fed impulsionam mercados europeus

A desvalorização do euro e da libra em relação ao dólar impulsionou empresas exportadoras em todo o continente

São Paulo – As bolsas da Europa encerraram o pregão desta terça-feira, 17, em alta, em sessão marcada pelo noticiário corporativo e pelo bom desempenho de ações de empresas exportadoras. A percepção de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) vai se manter gradual também apoiou os mercados.

Com poucas notícias no front econômico europeu, os investidores se concentraram no noticiário corporativo para guiar os negócios na sessão.

Uma das principais notícias veio do conglomerado industrial alemão Thyssenkrupp, que informou nesta terça a saída do presidente do conselho Ulrich Lehner. A saída do executivo foi vista pelos investidores como um sinal de que a companhia vai expandir seus esforços para reestruturação. O papel da empresa terminou com valorização de 9,13%, o principal ganho da Bolsa de Frankfurt e do índice pan-europeu Stoxx 600.

O índice DAX terminou em 12.661,54 pontos (+0,80%) e o Stoxx 600 subiu para 384,98 pontos (+0,24%).

As notícias positivas não ficaram restritas somente ao conglomerado alemão. Na tradicional feira de aviação de Farnborough, a fabricante de aviões Airbus confirmou uma encomenda de novos jatos A220 pela empresa americana JetBlue, que totalizam US$ 5,5 bilhões. O papel da companhia subiu 0,67% e foi um dos destaques de alta da Bolsa de Paris, onde o índice CAC 40 subiu para 5.422,64 pontos (+0,24%).

A desvalorização do euro e da libra em relação ao dólar impulsionou empresas exportadoras em todo o continente.

Se por um lado a moeda americana subiu com comentários do presidente do Fed, Jerome Powell, sobre o desempenho da economia dos Estados Unidos, a divisa britânica recuou após o chefe do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), Mark Carney, sinalizar que pode colocar um freio na elevação dos juros se não houver acordo pelo Brexit.

Em Londres, o índice FTSE 100 avançou 0,34%, para 7.626,33 pontos, com destaque para o desempenho da mineradora Antofagasta (+2,22%) e a farmacêutica AstraZeneca (+1,54%), ambas exportadoras. Em Milão, o FTSE Mib subiu para 21.977,82 pontos (+0,74%), com avanço também de 0,74% da fabricante de pneus da Pirelli.

Apesar de reforçar o bom desempenho da economia americana, Powell também adotou um tom gradualista em relação aos juros, o que acalmou os investidores de renda variável, tementes com a subida forte das taxas americanas.

Em Madri, o índice IBEX 35 encerrou em 9.719,40 pontos (+0,03%). Em Lisboa, o PSI 20 subiu para 5.638,26 pontos (+0,31%).

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.