Ibovespa fecha em queda e recua abaixo de 84 mil pontos

Pago parcelas de um carro que não está no meu nome. Declaro?
19 de março de 2018
EUA proíbem negociações de americanos com “bitcoin” da Venezuela
20 de março de 2018
Exibir tudo

Ibovespa fecha em queda e recua abaixo de 84 mil pontos

O Ibovespa caiu 1,15 por cento, a 83.913 pontos

São Paulo – O principal índice do mercado acionário brasileiro fechou no vermelho nesta segunda-feira, abaixo dos 84 mil pontos, contaminado pelo viés negativo no exterior, com as blue chips Vale, Itaú Unibanco e Petrobras entre as maiores pressões de baixa.

O Ibovespa caiu 1,15 por cento, a 83.913 pontos. O volume financeiro do pregão somou 16,3 bilhões de reais, inflado por operações ligadas ao vencimento dos contratos de opções sobre ações, que movimentou 5,63 bilhões de reais.

No exterior, a cautela ante a decisão de juros nos Estados Unidos na quarta-feira somou-se a notícias corporativas que minaram índices de ações na Europa e EUA. Em Wall Street, o S&P 500 caiu 1,4 por cento com o tombo da ação do Facebook após notícias de uso indevido de informações de usuários.

De acordo com o gestor Marco Tulli Siqueira, da mesa de operações de Bovespa da Coinvalores, o pregão brasileiro refletiu o tom negativo nas bolsas na Europa e EUA, sendo pressionado ainda pelo declínio nos preços do minério de ferro.

Também no radar esteve a designação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes como relator de habeas corpus coletivo para suspender todas as prisões, e também impedir que novas ocorram, nos casos de execução provisória da pena aos condenados em segunda instância.

A bolsa paulista ainda segue enfraquecida pela saída líquida de capital externo há 14 sessões consecutivas, tendo reduzido o saldo positivo no ano para menos de 2 bilhões de reais até o dia 15 de março.

Em nota a clientes, a equipe do Credit Suisse estimou que, se os estrangeiros continuarem vendendo neste ritmo, numa aproximação linear, devem zerar a posição antes do fim do mês.

Destaques

– ITAÚ UNIBANCO PN cedeu 2,15 por cento e BRADESCO PN caiu 1,02 por cento, afetados pelo viés negativo do mercado como um todo e pesando no Ibovespa em razão da relevante participação que ambos detêm na sua composição.

– VALE ON perdeu 2,84 por cento, com o recuo dos preços do minério de ferro na China, diante de estoques altos e um mercado de aço naquele país fraco. As siderúrgicas também foram contaminadas. USIMINAS caiu 4,93 por cento.

– PETROBRAS ON recuou 3,34 por cento e PETROBRAS PN cedeu 2,33 por cento, em meio à fraqueza dos preços do petróleo no exterior.

– SUZANO PAPEL E CELULOSE saltou 7,37 por cento, ainda apoiada no anúncio da última sexta-feira de fusão com FIBRIA, que caiu 0,22 por cento. O Credit Suisse elevou a recomendação de Suzano a ‘outperform’.

– CEMIG PN ganhou 2,53 por cento. No radar estavam notícias da cena política mineira, mais especificamente a de que o senador Antonio Anastasia (PSDB) aceitou concorrer ao governo de Minas Gerais.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.