Bolsas de NY fecham em alta, com apoio de Trump, petróleo e imigração

Ibovespa recua após dois dias no azul
26 de junho de 2018
Otimismo com disputa comercial impulsiona índices acionários europeus
27 de junho de 2018
Exibir tudo

Bolsas de NY fecham em alta, com apoio de Trump, petróleo e imigração

Dow Jones fechou em alta de 0,12%, aos 24.283,11 pontos; o S&P 500 subiu 0,22%, aos 2.723,06 pontos; e o Nasdaq avançou 0,39%, aos 7.561,63 pontos

São Paulo – Os mercados acionários americanos encerraram em alta o pregão desta terça-feira, 26, em um movimento de recuperação das fortes perdas registradas na sessão anterior.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu apoio à correção ao sinalizar que não irá impor restrições a investimentos chineses. Além disso, os preços do petróleo e a votação de um projeto de reforma imigratória na Câmara dos Representantes na quarta-feira também ajudaram no sentimento otimista.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,12%, aos 24.283,11 pontos; o S&P 500 subiu 0,22%, aos 2.723,06 pontos; e o Nasdaq avançou 0,39%, aos 7.561,63 pontos.

Relatos de que Washington poderia restringir investimentos chineses feitos em empresas americanas de tecnologia começaram a circular na imprensa no fim de semana. A forte reação dos mercados na segunda-feira gerou forte onda vendedora de ações e de dólar e proporcionou um pico na volatilidade em meio a temores acentuados de que EUA e China entrassem em uma guerra comercial de fato.

O governo Trump, então, colocou em campo o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e o assessor comercial Peter Navarro numa tentativa de acalmar os mercados. No entanto, quem gerou maior alívio foi o próprio Trump.

De acordo com o presidente americano, os veículos de comunicação que noticiaram o assunto “tinham um vazador que não existe ou um vazador que não conhecia muito bem sobre o negócio. Isso foi um vazamento ruim feito por alguém que não sabia do que se tratava… Eles apenas inventaram a história”, sugerindo que não irá impor barreiras a investimentos chineses.

O mercado digeriu os comentários de Trump com alívio. Em Nova York, os principais indicadores acionários renovaram sucessivas máximas, assim como o dólar em relação a outras divisas fortes. No dia anterior, os mercados de câmbio e de ações haviam sofrido fortes perdas.

“Se havia alguma dúvida no fim da semana passada sobre se os investidores ficariam mais nervosos com as discussões sobre comércio, o efeito de ontem nos mercados globais parece sugerir que essas dúvidas estão aumentando a cada nova medida que o governo Trump pode tomar”, disse o analista-chefe de mercados da corretora CMC Markets UK, Michael Hewson.

As ações de energia contribuíram com boa parte dos ganhos à medida que o petróleo saltou mais de 3% em Nova York em meio à notícia da Dow Jones Newswires de que os EUA esperam que todos os países cortem suas importações do Irã a “zero” até 4 de novembro.

Além disso, a instabilidade política na Líbia e a paralisação da extração em algumas regiões canadenses também deram sustento aos ganhos dos preços do óleo. A Chevron fechou em alta de 1,26% e a ExxonMobil ganhou 1,13%.

Entre as techs, os ganhos também foram generalizados. O setor foi favorecido após o presidente da Câmara, Paul Ryan, informar que colocará em votação na quarta-feira um projeto de reforma imigratória elaborado pelos deputados republicanos. A Netflix subiu 3,88%, a Apple ganhou 1,24%, a Amazon avançou 1,68% e o Twitter encerrou com alta de 1,52%.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.