Ações da Gol disparam 12% com compra de jatos da Boeing

Mais de 3,3 milhões de contribuintes recebem hoje restituição do IR
16 de julho de 2018
Ações da Tesla recuam depois de ofensa de Elon Musk a mergulhador
16 de julho de 2018
Exibir tudo

Ações da Gol disparam 12% com compra de jatos da Boeing

Companhia anunciou mais cedo contrato para compra de mais 15 jatos Boeing 737-MAX 8 e a conversão de 30 pedidos atuais do modelo MAX 8 para 737 MAX 10

São Paulo – As ações da Gol disparavam 12 por cento nesta segunda-feira, liderando os ganhos do Ibovespa, tendo no radar anúncio de encomenda de novos aviões e relatório do Goldman Sachs com recomendação “neutra” para os papéis, mas enxergando possibilidade de empresa elevar preços de passagens aéreas em 2019.

Às 15:17, as ações preferenciais da companhia aérea tinham alta de 12 por cento, 12,55 a reais, seguida pela sua controlada Smiles, com elevação de 3,3 por cento. No mesmo horário, o Ibovespa cedia 0,1 por cento.

Considerando dados de fechamento, as ações da Gol acumulam queda de mais de 50 por cento desde a máxima do ano em 6 de abril (23,89 reais) até o pregão de sexta-feira.

A Gol anunciou mais cedo contrato para compra de mais 15 jatos Boeing 737-MAX 8 e a conversão de 30 pedidos atuais do modelo MAX 8 para 737 MAX 10, garantindo uma capacidade adicional de 30 assentos.

No comunicado sobre o anúncio, o presidente da Gol, Paulo Kakinoff, afirmou que a aquisição reforça a estratégia de reduzir custos operacionais, enquanto a capacidade adicional proporcionará à Gol vantagem competitiva em custo.

O Goldman Sachs começou a cobertura das ações da Gol com preço-alvo de 11,70 reais, citando que o pano de fundo macroeconômico incerto no Brasil está no preço da ação, embora a recente volatilidade do real e a alta do petróleo implicam em recuperação mais irregular do que inicialmente esperado no Brasil.

A equipe do Goldman citou, contudo, que a Gol será capaz de elevar preços em 2019 até certo ponto, o que deve implicar margens ligeiramente maiores para a companhia apesar do ambiente macro desafiador.

“Nos últimos anos a (rival) Latam tem sido mais racional (reduzindo capacidade), o que nos faz acreditar que ambas as companhias aéreas (Gol e Latam) serão capazes de elevar preços em 2019″, afirmaram os analistas do Goldman Sachs.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.